Comer carne ou não? Seu tataravô não tinha essa dúvida

Seja por motivos ambientais, de saúde, éticos ou filosóficos, muita gente gente aboliu, hoje em dia, o consumo de carne vermelha. As justificativas são justas e têm cada uma sua carga de razão. Só não vale dizer a esta altura da história da humanidade, que o homem não é um animal carnívoro.

Achados arqueológicos dão conta de que há 30 mil anos de nossa era os humanos já comiam carne, fosse caçando ou roubando carcaças de animais mortos. O hábito alimentar está presente na história de quase todos os povos.

Se hoje a carne bovina e o grande centro do debate, outros tantos animais já foram ou continuam sendo “vítimas” da fome do homem. Antes de Cabral inventar o Brasil, os índios que aqui viviam, por exemplo, matavam, assavam e comiam paca, queixada,  capivara, macaco, tatu…

Os africanos não dispensavam um naco de elefante, crocodilo, hipópotamo… Na Ásia, búfalos, felinos e até camelo entrava no cardápio. E nem vamos falar em aves e peixes, que merecem cada um um capítulo à parte.

Em algumas sociedade há a restrição por motivos religiosos. A exemplo da Índia, em que grande parte da população é vegetariana – há regiões e que se comem aves e peixes, mas o consumo de canre de boi é proibido porque esse é considerado um animal sagrado.

Na tradição judaica, a carne suína é tida como impura e, portanto, proibida. Mas no Torá, o livro sagrado dos judeus, há uma lei, a krasbut, que determina todos os procedimentos de abate de animais e preparo de carne, de modo a tirar todo o sangue, “porque sangue é vida, e esta pertence ao Criador”. Daí surge a chamada comida kosher.

Por falar em preparo, o homem não só é carnívoro, mas também sofisticado no hábito de comer carne. Daí que foi inventando: churrasco, picadinho, feijoada, filé Chateaubriand, filé Wellington, paillard, bife acebolado, rosbife, costelinha ao barbecue, parmigiana…

Enfim, da carcaça assada e devorada com as mãos à beira da fogueira até o steak tartare degustado em finíssimos restaurantes, é uma longa história — à qual veganos e vegetarianos estão tratando de dar novos rumos.

Fonte: “Carne & Cia” (Centro de Excelência em Turismo. Foto: Academia da Carne.

Anúncios