A culpa de tudo é de um paraguaio, o militar Hernando Arias de Saavedra